Economia

Início » Editorias » Notícias » Economia

Emprestimo para Pessoa Fisica: Principais Requisitos Solicitados

Por Redação - PORJUCA Publicado em 19/09/2018, 05:30 - Atualizado em 01/10/2018, 09:29

O Empréstimo para Pessoa Física é uma das linhas de crédito mais usadas no mercado. Um dos motivos para esta procura é que a liberação do dinheiro costuma ser fácil. As instituições financeiras não se preocupam em saber onde o dinheiro será gasto.

O banco ou financeira fazem uma análise de crédito para o cliente que deseja o Empréstimo para Pessoa Física e, caso seja aprovado, o dinheiro é depositado na conta do cliente dentro de pouco tempo.

Por ter essas facilidades, essa modalidade de crédito, geralmente, possui altas taxas de juros. Por isso deve ser bem analisado antes de ser contratado.

Mas, quando o Empréstimo para Pessoa Física pode ser uma boa saída? Vamos conhecer as vantagens, as desvantagens e quando essa linha de crédito é a melhor opção.

Vantagens e desvantagens do Empréstimo para Pessoa Física

Vantagens:

A primeira vantagem do Empréstimo para Pessoa Física a ser elencada é a rapidez na liberação do dinheiro. Em alguns casos, você não precisa nem ir ao banco solicitar seu crédito, pois o banco disponibiliza um valor pré-aprovado na sua conta e você pode sacar esse valor pela internet banking ou no caixa eletrônico.

Empréstimo para Pessoa Física

Se o seu pedido for feito direto na agência bancária e for aprovado, em muitos casos, o dinheiro é depositado em sua conta no prazo de um dia.

Uma outra vantagem é a opção de saldar uma dívida do uma dívida do cheque especial com um Empréstimo para Pessoa Física. Se, ao comparar os juros e taxas do cheque especial com as taxas e juros de um empréstimo pessoal e, nesse caso, os custos do empréstimo forem menores, a melhor opção é o empréstimo pessoal.

Você deve comparar o Custo Efetivo Total (CET) para saber se o empréstimo pessoal está compensando.

Outra conveniência em realizar um Empréstimo para Pessoa Física, é no surgimento de uma emergência que custe caro para ter uma solução. Este é o caso de um familiar, por exemplo, que necessite passar por um tratamento de emergência. Se você não disponibiliza do valor a ser gasto, o empréstimo é uma boa solução.

E para não dizer que o empréstimo só serve para momentos ruins da vida, você pode fazer um empréstimo pessoal para realização de um projeto e não tem condições financeiras para realizá-lo no momento desejado. Claro, que deve ser bem estudado o custo-benefício da concretização do seu sonho.

Existem algumas financeiras que concedem Empréstimo para Pessoa Física para quem está com o nome negativado junto aos órgãos de proteção ao crédito – SERASA, SPC, etc. Então, quem está com o nome sujo podem conseguir dinheiro emprestado com estas empresas que fazem empréstimo para negativados, já que não conseguem crédito junto aos bancos.

Desvantagens:

A principal desvantagem que o Empréstimo para Pessoa Física tem é, sem dúvidas, a sua alta taxa de juros. De acordo com o Banco Central, a média de taxas de juros cobradas para empréstimos é de 7 % ao mês. Podendo ser maior ainda, de acordo com a instituição financeira contratada.

Outra desvantagem é o acesso fácil na contratação deste tipo de empréstimo. Também a possibilidade de emprestar um montante maior do que o necessário. Esses dois aspectos devem ser levados em consideração para não cair numa acumulação de vários créditos.

Deve se levar em consideração que, quanto mais dinheiro emprestar, maior será a dívida a pagar.

Outra desvantagem, que deve ser encarada como um grande sinal de perigo, é a inadimplência. Ou seja, você ficar mais endividado ainda se não conseguir honrar com os pagamentos do Empréstimo para Pessoa Física. Evite o efeito bola de neve que situações como essa podem gerar.

Como conseguir um Empréstimo para Pessoa Física

Não é muito difícil conseguir seu empréstimo pessoal. Antes de tudo você precisa analisar todas as ofertas que encontrar. Em seguida é preciso comparar as opções de crédito e ver qual combina mais com seu perfil financeiro, suas necessidades e objetivos.

Emprestimo para Pessoa Fisica

Visite o site dessas instituições e faça simulações do seu Empréstimo para Pessoa Física. É possível simular o número de parcelas, o valor a ser emprestado, às taxas de juros, etc.

Depois de escolher uma financeira ou banco, você deve ir até essa instituição financeira e eliminar todas as suas dúvidas e não tenha pressa em assinar o contrato.

Depois de solicitar seu Empréstimo para Pessoa Física, você precisará que o banco ou a financeira faça a análise de crédito, para, assim, liberar ou não o crédito solicitado.  Esta análise de crédito leva em conta:

– Score (pontuação) de crédito

– Restrições em seu nome

– Renda mensal

– Comprometimento de sua renda se o empréstimo for liberado.

Se seu pedido for aprovado, você será chamado para conhecer as condições de liberação de crédito e assinar o contrato de empréstimo.

Fique atento a todas as informações e, pergunte, caso ainda reste alguma dúvida. Você não é obrigado a assinar o contrato se não concordar com alguma cláusula.

Depois disso, você assina o contrato e o dinheiro será depositado em sua conta no tempo acordado entre você e o banco. Aproveite o dinheiro para resolver suas pendências financeiras e, aproveite para organizar a sua vida financeira. Boa sorte!

Emprestimo para Pessoa Fisica: Principais Requisitos Solicitados 2018-10-01T09:29:03+00:00

O resgate do PIS/Pasep começa hoje para trabalhadores de todas as idades

Por Fernanda Maestro PIRANOT / PORJUCA Publicado em 14/08/2018, 15:32 - Atualizado em 14/08/2018, 15:32

A partir desta terça-feira (14), trabalhadores de todas as idades que tiverem direito a cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) poderão sacar seus recursos.

Têm direito ao saque as pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. As cotas são os recursos anuais depositados nas contas de trabalhadores criadas entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988.

O prazo ficará aberto até 28 de setembro. A partir de 29 de setembro, só será possível receber as quantias dos dois fundos nos casos previstos na Lei 13.677/2018.
Desde o dia 8 de agosto, o crédito para correntistas da Caixa e do Banco do Brasil está sendo feito automaticamente. A partir de hoje (14), todas as pessoas poderão sacar os recursos corrigidos.

Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites do PIS e do Pasep. Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa Econômica Federal no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Até 2017, o saque das cotas era permitido quando o trabalhador completasse 70 anos, em caso de aposentadoria e em outras situações específicas. Desde o ano passado, o governo federal flexibilizou o acesso e até setembro pessoas de todas as idades podem retirar o dinheiro.

O resgate do PIS/Pasep começa hoje para trabalhadores de todas as idades 2018-08-14T15:32:31+00:00

Primeira parcela do 13º começa a ser paga agora em agosto

Por Fernanda Maestro PIRANOT / PORJUCA Publicado em 10/08/2018, 14:34 - Atualizado em 10/08/2018, 14:34

Aposentados e pensionistas do INSS começarão a receber, a partir deste mês de agosto, a antecipação da primeira parcela do 13º salário. De acordo com a Secretaria de Previdência, o depósito será realizado junto com a folha mensal de pagamentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro, conforme a Tabela de Pagamentos de Benefícios 2018.

Terão direito à primeira parcela do abono anual 30 milhões de benefícios. Estima-se que a antecipação corresponderá aproximadamente a R$ 20,6 bilhões, nos meses de agosto e setembro. A primeira parcela corresponde a 50% do valor do 13º.

Não haverá desconto de Imposto de Renda (IR) nessa primeira metade do abono. De acordo com a legislação, o IR sobre o 13º somente será cobrado em novembro e dezembro, quando for paga a segunda parcela.

Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro de 2018. Nesse caso, o valor será calculado proporcionalmente.

Primeira parcela do 13º começa a ser paga agora em agosto 2018-08-10T14:34:36+00:00

Começa nesta quarta (08), liberação de saques do PIS/Pasep

Por Fernanda Maestro PIRANOT / PORJUCA Publicado em 08/08/2018, 16:14 - Atualizado em 08/08/2018, 16:14

Os pagamentos do Fundo PIS/Pasep voltaram a ser realizados aos cotistas a partir de hoje, 08 de agosto, com reajuste para os trabalhadores que possuem créditos e ainda não fizeram o saque. Os saques dos valores haviam sido suspensos entre os dias 30 de junho a 7 de agosto para que o governo pudesse reajustar os montantes. Isso significa que quem deixou para sacar a partir de quarta vai receber um valor maior do que os trabalhadores que já receberam o dinheiro.

No total, cerca de 23,8 milhões de pessoas de todas as idades, que trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 1988, têm direito ao recurso até 28 de setembro. Após essa data, o benefício volta a ser concedido exclusivamente ao público habitual, formado por cotistas maiores de 60 anos, aposentados, pessoas em situação de invalidez (inclusive seus dependentes) ou acometidas por enfermidades específicas, participantes do Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) e herdeiros de cotistas falecidos. O benefício tem potencial para movimentar R$ 35,7 bilhões na economia do país, considerando o rendimento de 8,97% do último exercício anual do Fundo.

Os cotistas que tiverem conta corrente na Caixa Econômica Federal (PIS) ou no Banco do Brasil (Pasep) e que estiverem com o cadastro do Fundo atualizado receberão o depósito automaticamente, sem necessidade de se dirigir às agências. De acordo com o cronograma vigente, os dois bancos começarão a efetuar os depósitos automáticos a partir de hoje (08). Devido à compensação noturna, os correntistas desses bancos poderão verificar os valores em suas contas no dia seguinte (9). Somente esse público soma cerca de 6,3 milhões de pessoas e garante a injeção direta de R$ 5,5 bilhões na economia.

Saque nas agências

A partir do dia 14 deste mês, o saque estará liberado para todos os cotistas, bastando que se dirijam às agências bancárias da Caixa (trabalhadores que atuaram na iniciativa privada) ou do Banco do Brasil (trabalhadores que atuaram no serviço público). São cerca de 17,5 milhões de pessoas que poderão sacar entre 14 de agosto e 28 de setembro. Para isso, basta levar ao banco um documento de identificação ou o número de registro do PIS/Pasep, consultando na hora o valor que tem direito de sacar.

Os dois bancos – Caixa e BB – também oferecem essas consultas por meio de suas páginas na internet. “É importante frisar que, dos 23,8 milhões de cotistas com direito ao benefício, cerca de 15 milhões têm são pessoas com menos de 60 anos, as quais, a partir de 29 de setembro, não terão mais direito de resgatar os recursos, de acordo com a Lei 13.677/2018. Daí a importância de todos os trabalhadores que atuaram naqueles anos buscarem informação sobre os seus saldos disponíveis”, informou o Ministério do Planejamento, em nota.

Desde o início do processo de flexibilização dos saques do fundo PIS/Pasep, em 2017, até junho de 2018, cerca de 4,8 milhões de cotistas já realizaram seus saques, totalizando R$ 6,6 bilhões pagos aos beneficiários.

Quem tem direito

Têm direito ao saque servidores públicos e pessoas que trabalharam com carteira assinada de 1971, quando o PIS/Pasep foi criado, até 1988. Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Desde a criação do PIS/Pasep, em 1971, o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completasse 70 anos, se aposentasse, tivesse doença grave ou invalidez ou fosse herdeiro de titular da conta. No segundo semestre do ano passado, o governo já tinha enviado ao Congresso duas medidas provisórias (MPs) reduzindo a 60 anos a idade para saque, sem alterar as demais hipóteses de acesso aos recursos. O Projeto de Lei de Conversão 8/2018, decorrente da MP 813/2017, que permitiu os saques, foi aprovado pelo Senado no dia 28 de maio e sancionado pelos presidente Michel Temer em junho, quando a flexibilização do saque passou a valer na prática.

Começa nesta quarta (08), liberação de saques do PIS/Pasep 2018-08-08T16:14:29+00:00

Black Friday 2018: Como se Preparar para Comprar Barato

Por Redação - PORJUCA Publicado em 02/08/2018, 09:34 - Atualizado em 02/08/2018, 09:42

A Black Friday 2018 que neste ano ocorrerá no dia 23 de novembro, teve sua origem nos Estados Unidos, ocorrendo um dia após o famoso feriado de Ação de Graças, com o intuito de marcar o início da temporada de compras natalinas, onde os clientes têm a oportunidade de comprar os mais diversos itens em promoções incríveis.

No Brasil, a Black Friday começou a ocorrer a partir do ano de 2010, através apenas de lojas online, porém devido ao enorme sucesso de vendas obtido nesta data, as lojas físicas também se renderam a Black Friday, e a partir daí a data se popularizou por todo o país, sendo responsável por fazer com que as lojas alcançam recordes de vendas desde então.

Como aproveitar a Black Friday 2018?

As lojas das mais variadas categorias, como roupas, sapatos, eletrodomésticos, eletroportáteis, além de outros produtos participam da Black Friday, tanto nas lojas físicas, como nas lojas online. Sendo assim, há oportunidades infinitas para todo mundo que está a fim de participar da maior liquidação do mundo.

Black Friday 2018

Se você é do tipo de pessoa que ama comprar barato ou então está esperando a oportunidade ideal para comprar algo que está precisando ou deseja comprar a tempos, a Black Friday pode ser a chance ideal de pagar o menor preço por aquele item tão desejado.

Para que você tenha a garantia de conseguir os melhores preços é necessário realizar uma preparação antes. Com o intuito de facilitar a sua vida, serão citadas aqui algumas dicas para que você possa realizar as suas compras da melhor forma possível, e ainda usufruir de um ótimo desconto.

Tenha em mente que a partir do momento em que você decide adquirir algum produto na Black Friday 2018, você passa de um simples comprador para um competidor. Sim, pois assim como você, existirão muitas outras pessoas querendo adquirir o mesmo produto pelo menor preço possível.

Dicas de Segurança para Comprar na Black Friday 2018

O primeiro passo a ser seguido é definir e pesquisar com antecedência os produtos que você deseja adquirir. É necessário conhecer antes o valor pelo qual o produto é vendido normalmente, para saber se o desconto oferecido durante a Black Friday realmente vale a pena. Também é importante conhecer as opções disponíveis do produto em questão e quais as lojas que o disponibilizam.

Fique atento ao seu e-mail e redes sociais para saber quando as lojas darão início às promoções, quanto tempo ela durará e se a promoção é válida tanto para loja física quanto para a loja online. É também através destes meios de contato que muitas vezes são disponibilizados os tão queridos cupons de descontos que podem te garantir um desconto maior na sua compra ou até mesmo alguns brindes.

É importante lembrar que no dia da Black Friday, muitas pessoas chegam antes mesmo de as portas abrirem, então se você realmente quer garantir aquele produto, chegue o quanto antes na loja para que você não corra o risco dele esgotar.

Já para quem irá adquirir o seu produto pela internet, é necessário que você já deixe a postos o seu computador ou smartphone, com as páginas das lojas que você deseja realizar as suas compras abertas, lembrando que algumas lojas, principalmente as online, já disponibilizam as suas promoções na madrugada da quinta para sexta-feira.

E por último, tenha paciência. As promoções da Black Friday sempre envolvem muita correria, multidões, empurra-empurra e às vezes até pequenas confusões na disputa de algum item. É necessário lembrar também, que principalmente nessas ocasiões muitas vezes as lojas não oferecem trocas e nem disponibilizam meios de entrega para os produtos comercializados, sendo assim, vale a pena ficar bem atento a esses detalhes e já ir preparado para que suas compras possam sair como planejadas.

Fraudes na Black Friday 2018

Alguns lojistas, com o intuito de se aproveitar da ocasião e da boa fé dos clientes para lucrar mais aumentavam os preços dos produtos de seu comércio alguns meses antes da Black Friday, e quando chegava a época de promoções, diminuía o valor, enganando alguns clientes. Na tentativa de identificar e punir os comerciantes que praticavam esta ilegalidade, o Procon passou a fiscalizar as lojas e monitorar os valores a fim de evitar fraudes como essa, principalmente durante a Black Friday 2018.

Black Fraude 2018

A partir das dicas dadas fica muito mais fácil adquirir o produto desejado e não ficar de fora da Black Friday, aproveitando e garantindo assim o maior desconto possível.

Antes de comprar pela internet, lembre-se sempre de pesquisar sobre a loja que deseja comprar antes, procurando relatos de pessoas que já compraram, verificando se há reclamações, se os produtos vendidos estão dentro das especificações dadas pelo e-commerce, e se a loja oferece algum tipo de garantia sobre o pagamento e o produto. Desta forma, você garantirá o máximo de aproveitamento nas suas compras realizadas na Black Friday 2018.

Black Friday 2018: Como se Preparar para Comprar Barato 2018-08-02T09:42:55+00:00

Calendário Bolsa Família: Saiba Quando Receber o Benefício

Por Redação - PORJUCA Publicado em 30/07/2018, 10:58 - Atualizado em 30/07/2018, 10:58

Já ultrapassamos a metade de 2018, mas o Calendário Bolsa Família e os pagamentos do Bolsa Família devem continuar auxiliando milhões de família que dependem deste benefício até o final do ano e no próximo ano também.

Se sua família, ou alguma família que você conhece, está começando a receber o benefício agora, acompanhe o Calendário Bolsa Família entre os meses de julho e dezembro deste ano e as novidades para 2019.

O Bolsa Família é o resultado da união de vários programas sociais

Quando o Governo Federal lançou o Programa Bolsa Família, foram cadastrados os beneficiários que já participavam das seguintes ações sociais:

Auxílio Gás;

Bolsa Escola;

Cartão Alimentação;

Bolsa Alimentação.

A reunião de todos esses programas teve como objetivo principal a agilidade da distribuição da renda e a transparência dessa distribuição.

O pagamento é efetuado de forma direta, através de cartão magnético, a todas as famílias cadastradas.

Segundo informações da Caixa Econômica Federal, que é o banco responsável pelos pagamentos, mais de 13,9 milhões de famílias são beneficiadas com o Bolsa Família em todo o Brasil.

Cada beneficiário recebe um valor específico, de acordo com sua realidade, para que seja garantido o acesso à alimentação, saúde e educação dos que compõe aquela família.

Conheça o Calendário Bolsa Família de Julho a Dezembro de 2018

A Caixa Econômica Federal disponibiliza anualmente o Calendário Bolsa Família, através do qual é possível saber o dia exato do pagamento do benefício, evitando idas desnecessárias ao banco.

É importante saber o dia de recebimento do benefício para que as famílias que o recebem possam se programar financeiramente, organizando seus gastos com comida, remédios, roupas, entre outras despesas.

Veja as datas de pagamento do ano corrente:

Calendário Bolsa Família

É importante perceber que os pagamentos são sempre efetuados no começo da segunda quinzena do mês (a partir do dia 15), porém o mês de dezembro é um mês diferenciado porque o benefício é disponibilizado mais cedo, a partir do dia 10.

Essa informação é importante para que as famílias beneficiadas se organizem em suas despesas mensais, já que o Bolsa Família não faz pagamento de 13º salário. Apenas alguns estados concedem o Abono Natalino, como a Paraíba, por exemplo.

Quais as Datas de Pagamento no Calendário Bolsa Família 2019?

Antes de conhecermos o Calendário de 2019, vamos conhecer os aumentos concedidos pelo Governo para o Programa Bolsa Família.

Os reajustes de valores do Bolsa Família acontecem de acordo com o aumento anual do salário mínimo.

No dia 1º de maio de 2018, Dia do Trabalho, o Presidente Michel Temer anunciou um aumento do Bolsa Família. O reajuste concedido foi de 5,67% no benefício médio e passou a vigorar a partir de julho deste ano.

Vale lembra que os beneficiários deste auxílio são famílias extremamente pobres, com renda mensal de até R$ 85 por pessoa e também famílias consideradas pobres, com renda mensal que varia entre R$ 85,01 até R$ 170 por pessoa.

Quanto às mudanças no Calendário Bolsa Família para o ano que vem, não devem acontecer grandes alterações. Quem acompanha o Programa há bastante tempo sabe que o calendário segue um certo padrão de datas.

A Caixa Econômica Federal ainda não divulgou as datas do próximo ano oficialmente, porém já existe um calendário que deve ser confirmado, salvo algumas pequenas alterações. Confira abaixo:

Calendário do Bolsa Família

Onde se Informar sobre o Calendário e Valores do Bolsa Família

Para conhecer as datas, os valores e demais informações do Programa Bolsa Família, o Ministério do Desenvolvimento Social, que é o órgão federal responsável pelo Programa, disponibiliza vários canais de informação.

Esses canais, em sua maioria, têm ligação com a Caixa Econômica Federal, que é o banco responsável pelo controle e realização dos pagamentos.

Se houver dúvidas sobre dia do pagamento, saques e valores depositados, podem ser utilizados os seguintes meios:

Agência Bancária: procure uma agência próxima à sua casa, sem esquecer de levar o cartão e a senha, e peça ajuda a um funcionário do banco.

Site na Internet: entre na página do Programa Bolsa Família – clique aqui – e preencha os campos obrigatórios. Para este tipo de consulta você precisa ter uma senha específica, que será cadastrada no site do banco.

Aplicativo no celular: para consultar seu saldo e data de pagamento pelo aplicativo Bolsa Família, antes de mais nada, será preciso baixar no seu celular. Você pode baixar seu aplicativo Bolsa Família, clicando aqui. Depois é só seguir as orientações da página apresentada.

Vale lembrar que para receber o benefício Bolsa Família é necessário estar cadastrado e com as informações atualizadas. Do contrário o benefício poderá ser suspenso, sem aviso prévio.

Tome cuidado para não ser bloqueado. Existem diversos motivos que levam ao bloqueio do benefício e, como dito anteriormente, sem nenhum aviso.

Segundo informações fornecidas pela Caixa, os motivos mais comuns de bloqueio são:

  • Averiguação da renda per capita;
  • Verificação dos dados do estudante;
  • Verificação dos dados junto ao SISVAN do Bolsa Família.

Para conseguir o desbloqueio será necessário entra em contato com o departamento responsável pelo Programa no município onde o beneficiário reside e está cadastrado.

Calendário Bolsa Família: Saiba Quando Receber o Benefício 2018-07-30T10:58:52+00:00

Greve dos caminhoneiros afetou arrecadação de impostos da indústria

Por Wagner Romano Publicado em 24/07/2018, 16:57 - Atualizado em 24/07/2018, 16:57

A paralisação dos caminhoneiros afetou a arrecadação de impostos da indústria em junho, e ao longo do ano o impacto poderá ser sentido em outros setores da economia, segundo avaliação do chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, auditor-fiscal Claudemir Malaquias.

Em junho, houve queda de 6,67% na produção industrial, na comparação com o mesmo período de 2017, influenciando a arrecadação de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). “Essa retração está diretamente relacionada com a paralisação dos caminhoneiros, em maio de 2018”, diz a Receita, na análise sobre a arrecadação. Em junho, o IPI registrou queda de 14,28% na comparação com igual mês de 2017.

De acordo com Malaquias, ainda é prematuro tentar avaliar a dimensão do impacto da greve na arrecadação de tributos, uma vez que parte dos efeitos ainda não foram sentidos e serão “dispersos” entre os tributos ao longo do ano. “Cada atividade vai se recuperar em um ritmo. Algumas vão experimentar alguma perda até o final do ano”, explicou.

Outro efeito da greve ocorreu na arrecadação da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel, no caso das importações do combustível. Na negociação do governo com os caminhoneiros, a alíquota da Cide sobre o diesel foi zerada. Com isso, a arrecadação desse tributo caiu 22,88%, em junho. “Esse resultado decorre, especialmente, da redução da alíquota incidente sobre o diesel, para zero que, no mês de junho de 2018, afetou somente a arrecadação do diesel nas operações de importação”, diz a Receita.

Segundo Malaquias, 20% do óleo diesel consumido no país é importado. O efeito da alíquota zerada no mercado interno só será observado nos dados que serão divulgados em agosto. “Em relação à venda no mercado interno, o fato gerador só ocorreu em junho. Vamos apresentar isso no mês que vem”, disse.

Greve dos caminhoneiros afetou arrecadação de impostos da indústria 2018-07-24T16:57:54+00:00

Soja responde por 16% das exportações brasileiras no semestre

Por Assessoria de imprensa Publicado em 19/07/2018, 12:37 - Atualizado em 19/07/2018, 12:51

Dados do Indicador do Comércio Exterior (Icomex), relativo ao mês de junho, divulgado hoje (19) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre FGV), apontam que a soja em grão respondeu por 16% do total exportado pelo Brasil para o mundo nos primeiros seis meses do ano e, se somarmos o minério de ferro e o petróleo, o percentual chega a 33%.

A participação da China na pauta das exportações continua crescendo e o país asiático mantém-se como principal destino dos produtos brasileiros, já tendo ultrapassado a parcela dos 28 países da União Europeia. Segundo a publicação, as exportações brasileiras para a China cresceram 26% no primeiro semestre do ano.

Alto Paraíso (GO) - Plantação de soja em área do município de Alto Paraíso mostra o avanço da fronteira agrícola na região da Chapada dos Veadeiros (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Segundo o estudo da FGV, como a pauta de exportações do país tem se concentrado em poucas commodities, e a China vem ganhando participação como país destino dos produtos brasileiros, é forçosa a necessidade de “se discutir uma nova agenda da política de comércio exterior do país”.

Desvalorização cambial

Os economistas da FGV ressaltaram o fato de que os resultados do Icomex relativo a junho mostram que o efeito da desvalorização cambial ainda não se fez sentir nos fluxos comerciais, em especial nas importações.

Segundo o estudo, o índice da taxa de câmbio real efetivo calculado pelo Ibre mostra uma desvalorização de 11% de janeiro a junho, o que levaria a um efeito negativo nas importações. Ressaltam, porém, que “o efeito câmbio não é imediato, e outros fatores influenciam nos fluxos de comércio. No caso das importações, por exemplo, o nível da atividade doméstica é o principal fator de influência nos fluxos de comércio e até maio ainda se esperava crescimento do PIB na ordem de 2,5 a 2,8%”.

“A reversão dessas projeções [do PIB] para valores próximos a 1%, a partir do final do semestre, sugere que, além do efeito defasado do câmbio, as importações deverão ter uma maior desaceleração”, a partir deste segundo semestre do ano, diz o Ibre.

O documento ressalta ainda o fato de que, no caso das exportações, “o efeito câmbio foi positivo para o crescimento das não commodities, de 9,7% na comparação dos dois primeiros semestres, e 7,9% entre junho de 2017 e [junho] 2018”.

As commodities, que explicam cerca de 60% das exportações brasileiras, cresceram 2,9% no primeiro semestre deste ano, comparativamente ao primeiro semestre do ano passado, embora tenham recuado 1,7% na comparação mensal (maio-junho).

“Esse último resultado foi influenciado pela queda de 11% no volume global, puxado pelo agregado das carnes (-42%) e petróleo (-49%). Já o complexo da soja, por sua vez, registrou variação positiva de 11,6%, com o término da greve dos caminhoneiros”.

A evolução dos preços, segundo o estudo, levou a um aumento nos termos de troca em 2,4% de maio a junho de 2018, porém, em relação ao início do ano, os termos de troca fecharam em queda de 2%. A avaliação dos economistas da FGV é de que “após uma recuperação nos preços das exportações no segundo semestre do ano passado, os termos de troca tendem a declinar este ano. Ressalta-se no entanto, que ainda estamos com valores superiores ao do período de 2013/15”.

Fluxo de comércio

A variação mensal e semestral dos volumes exportados e importados por categoria de uso mostram que nas exportações todas as categorias registraram queda, a exceção de bens de capital. Nesse último grupo, estão incluídos produtos com tonelagem elevada como as plataformas de petróleo (em valor de mais de 6.000% na comparação semestral), aviões (aumento de 43% em junho), turbinas para aviões (3.300% em junho), entre outros.

Já no que diz respeito às importações, todos os volumes aumentaram tanto no comparativo mensal, como no semestral, com destaque para o crescimento de 31,3% dos bens de capital no primeiro semestre do ano. “Uma parte é explicada pela importação de plataforma de petróleo, em especial no mês de fevereiro, mas nos outros meses reflete investimentos em máquinas e equipamentos”.

Plataforma de petróleo
Plataformas de petróleo influenciaram no volume de importações Foto: Arquivo/Agência Brasil

A avaliação dos economistas é de que esse resultado contrasta com as importações de bens intermediários, que recuam e se associam ao nível de atividade. A desvalorização cambial leva a substituição por insumos domésticos, mas parece não ter afetado, até o momento, segundo os economistas, os planos de longo prazo associados a investimentos de bens de capital.

Os economistas avaliam ainda que “as compras de bens duráveis (automóveis, principalmente) podem também estar refletindo o efeito defasado do câmbio e o receio de uma possível desvalorização acentuada por turbulências na esfera política”.

Soja responde por 16% das exportações brasileiras no semestre 2018-07-19T12:51:19+00:00

Cesta básica sobe quase 3% no estado de São Paulo

Por Júnior Cardoso Publicado em 16/07/2018, 13:38 - Atualizado em 16/07/2018, 13:40

O custo dos produtos da cesta básica na capital paulista teve alta de 2,95% em junho, na comparação com maio, segundo pesquisa da Fundação Procon-SP. O preço médio da cesta passou de R$ 682,25 em maio para R$ 702,38 em junho.

Foto: O Popular

A pesquisa constatou alta de 3,64% em itens de alimentação, influenciada por problemas climáticos, questões sazonais, excesso ou escassez de oferta ou demanda pelos produtos, preços das commodities, variações cambiais, formação de estoques e desonerações de tributos.

Os produtos que mais encareceram foram o leite UHT (22,97%), frango resfriado inteiro (20,36%), farinha de trigo (19,48%), alho (13,76%) e carne de segunda sem osso (12,25%). As maiores quedas foram observadas na batata (-56,53%), cebola (-22,57%) e biscoito recheado (-9,55%).

Limpeza e higiene

Houve queda em limpeza (-0,19%) e higiene pessoal (-1,75%). No grupo limpeza, o preço médio dos produtos era de R$ 36,91 em maio e diminuiu para R$ 36,84 em junho. Tiveram redução o detergente (-4,48%), o limpador multiuso (4,46%) e o sabão em barra (-3,10%).

No grupo higiene pessoal, os produtos custavam, em média, R$ 60,60 em maio e caíram para R$ 59,54 em junho. Apresentaram queda o sabonete (-5,74%), o papel higiênico (-1,68%) e o creme dental (-0,80%).

Cesta básica sobe quase 3% no estado de São Paulo 2018-07-16T13:40:15+00:00

Valor corrigido da cota do PIS/Pasep já pode ser conferido

Por Assessoria de imprensa Publicado em 16/07/2018, 12:51 - Atualizado em 16/07/2018, 12:51

Os trabalhadores com direito a cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) podem conferir, a partir de hoje (16), os valores corrigidos que receberão em agosto. Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites do PIS e do Pasep.

Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa Econômica Federal no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Tem direito ao saque as pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. As cotas são os recursos anuais depositados nas contas de trabalhadores criadas entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Até 2017, o saque das cotas era permitido para pessoas com mais de 70 anos de idade, em caso de aposentadoria e em outras situações específicas. Desde o ano passado, o governo federal flexibilizou o acesso e até setembro pessoas de todas as idades podem retirar o dinheiro.

Em julho, o pagamento foi suspenso para o cálculo do rendimento do exercício 2017-2018. No ano passado, o rendimento foi de 8,9%. Na primeira etapa do cronograma, encerrada no dia 29 de junho, 1,1 milhão de trabalhadores fizeram o saque, retirando uma soma de R$ 1,5 bilhão.

A partir de 8 de agosto, correntistas da Caixa e do Banco do Brasil terão o crédito efetuado automaticamente. A partir do dia 14 de agosto, todas as pessoas poderão sacar os recursos corrigidos. O prazo ficará aberto até 28 de setembro.

A partir de 29 de setembro, só será possível receber as quantias dos dois fundos nos casos previstos na Lei 13.677/2018.

Valor corrigido da cota do PIS/Pasep já pode ser conferido 2018-07-16T12:51:12+00:00